O NEPAD vai fazer sair África do sub-desenvolvimento

Paris- França (PANA) -- A nova parceria para o desenvolvimento da África(NEPAD) ajudará sem dúvida nenhuma a libertar a África do sub-desenvolvimento, declarou Sexta-feira em Paris o director do centro de estudos e desenvolvimento, Jorge Braga de Macedo.
Numa entrevista exclusiva concedida a PANA, Jorge Macedo, cujo centro se encontra ligado à Organização de cooperação e do desenvolvimento económico(OCDE), diz fundamentar a sua convicção no acto de que a NEPAD rompe com os modelos de desenvolvimento até agora experimentados em África.
« A NEPAD é em todos os aspectos uma demarche original.
Pela primeira vez, trata-se de uma iniciativa concebida pelos Africanos para os Africanos.
Mas quanto a mim, a força do NEPAD reside no controlo dos parceiros que ele prevê", afirmou o perito português da OCDE .
O controlo pelos parceiros é, segundo nos foi precisado, uma disposição da Nova parceria que prevê que os chefes de Estado africanos se encontrem entre eles para mutuamente se interpelarem sobre as questões de boa governação política e económica.
O Centro de desenvolvimento , acrescentou o seu presidente, está disposto a dar o seu apoio em peritagem aos apaíses africanos na implementação do NEPAD onde se encontram já a trabalhar alguns dos seus peritos.
O Banco africano de desenvolvimento(BAD) e o Centro de desenvolvimento elaboraram em fevereiro de 2002 um relatório anual intitulado "As perspectivas económicas africanas" , que compara as realizações de diferentes países africanos segundo os seus parâmetros de análise.
« Assim, apoiando-se na acumulação de uma rica experiência de comparação de realizações económicas africanas, que assegura a credibilidde científica, o relatório sobre as Perspectivas económicas em África permitirá a OCEDE, através da sua parceria com o BAD, contribuir de maneira operacional no processo da NEPAD, indica um documento tornado público na última quinta -feira pela OCDE.
De acordo com o Centro de desenvolvimento, que festeja este mês o seu 40º aniversário, a execução das políticas de desenvolvimento em África deveria associar todos os actores da sociedade civil, nomeadamente as organizações não-governamentais e os sindicatos.
Mesmo afirmando não pretender « atirar pedra a ninguém », o perito da OCDE estima que a ausência da apropriação pelos Aficanos das políticas impostas pela instituições de Bretton Woods é uma razão essencial da estagnação das economias africanas.
« O NEPAD permite hoje corrigir este erro.
Eu tenho, da minha parte, razões de esperar pelo desenvolvimento de África com esta nova iniciativa que a minha instituição está pronta a acompanhar », concluiu Jorge Braga de Macedo.

25 Outubro 2002 16:20:00


xhtml CSS