Nova demissão de ministro na Guiné-Conakry

Conakry- Guiné-Conakry (PANA) -- O ministro conakry-guineense da Comunicação junto da Presidência da República e do Ministério da Defesa, Tibou Kamara, demitiu-se, segundo uma carta que endereçou ao director-geral da rádio privada "Liberté FM", Ibrahima Diallo.
Numa conversa telefónica com a PANA, o director da rádio FM Liberté indicou que o ministro demissionário, que se encontra actualmente no estrangeiro, endereçou-lhe uma cópia da sua carta de demissão.
"Quando nos preparávamos para emitir o jornal das 13h15, Tibou Kamara ligou-me por volta das 13h14 minutos para me dizer que se demitiu do Governo de Dadis Camara.
Na altura em que vos falo, tenho a sua carta de demissão em mão", disse.
O director da Liberté FM precisa que, segundo o conteúdo da carta que recebeu, a demissão de Tibou Kamara está ligada aos acontecimentos trágicos de 28 de Setembro último no estádio do mesmo nome em Conakry, onde as forças da ordem dispararam balas reais contra manifestantes opostos à candidatura do chefe da Junta, Dadis Camara, às eleições presidenciais de 31 de Janeiro de 2010.
Estes massacres fizeram, segundo as Nações Unidas, mais de 150 mortos e mais de mil e 200 feridos, contra um balanço oficial do Governo de 56 pessoas mortas "na sequência de empurrões".
O ministro da Comunicação, que já dirigiu o departamento de Informação no último Governo do defunto Presidente Lansana Conté, é o quarto ministro da equipa de Dadis Camara a demitir-se depois de Justin Morel Jr, Alpha Diallo e Abdourahamane Sano, todos substituídos a semana passada.
O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, nomeou sexta-feira passada três juízes para inquirir sobre a repressão sangrenta de 28 de Setembro último.
Por seu turno, o gabinete do procurador-geral do Tribunal Penal Internacional (TPI), Luis Moreno-Ocampo, anunciou recentemente que estava a examinar a abertura dum inquérito preliminar sobre esta tragédia.

03 Novembro 2009 18:05:00


xhtml CSS