Navios de emigrantes bloqueados ao largo das costas tunisinas pedem socorro

Túnis, Tunísia (PANA) – O capitão do navio bloqueado ao largo das costas da Tunísia com 40 migrantes a bordo lançou um apelo de socorro a favor destes indivíduos cujo estado de saúde é descrito como "crítico".

Os 40 emigrantes bloqueados no mar, ao largo das costas do sudeste tunisino, recusam-se a desembarcar na Tunísia, anunciou, quarta-feira, um responsável do Crescente Vermelho tunisino.

Mungi Slim afirmou que o órgão humanitário tunisino enviou uma equipa médica para ver a situação sanitária dos migrantes, entre eles grávidas e crianças, originários de vários países, nomeadamente do Egito, do Mali, do Níger e do Bangladeche.

Eles partiram da Líbia a bordo duma embarcação que, à deriva em pleno mar, chegou perto dum campo de gás tunisino onde foram recuperados pelo navio tunisino Sarost-5, indicou.

O Fórum Tunisino para os Direitos Económicos e Sociais  pediu, num comunicado publicado quinta-feira, ao Estado tunisino para responder ao apelo de socorro e permitir execionalmente a estes emigrantes bloqueados, desde 16 de julho corrente, entrarem no porto de Zarzis, no sul da Tunísia, a fim de beneficiarem de assistência médica e psicológica.

Apelou também aos países europeus para respeitarem acordos internacionais sobre a busca e o socorro marítimos que eles assinaram.

Malta, Itália e França, membros da União Europeia (UE), recusaram-se a acolher esses migrantes, refere-se.

-0- PANA YY/IN/IS/IBA/FK/DD 27julho2018

27 july 2018 11:04:30


xhtml CSS