Navio com 40 migrantes impedido de atracar na Tunísia depois de rejeitado na Europa

Tunis, Tunísia (PANA) - Organizações Não Governamentais (ONG) apelam às autoridades tunisinas para permitirem a atracação de uma embarcação comercial a bordo da qual se encontra cerca de 40 migrantes resgatados depois de perdidos durante vários dias no Mar Mediterrâneo, indica um comunicado destas entidades publicado quinta-feira em Túnis.

Provenientes da Líbia, estas pessoas, naturais do Egito e de países subsarianos, foram recusadas por Malta, pela Itália e pela França, de acordo com as ONG que consideram que a embarcação em causa está mais próxima dos portos tunisinos.

Organizações tunisinas denunciaram o comportamento dos Governos maltês, italiano e francês em relação a esses migrantes, pedindo ao mesmo tempo às autoridades tunisinas para  "respeitaram rapidamente seus compromissos internacionais".

Os migrantes estão desde domingo a bordo dum navio tunisino, "Sarost-5", à deriva no Mar Mediterrâneo, avariado e sem mantimentos nem combustível, alertaram.

O navio "Sarost-5" tentou, inicialmente, desembarcá-los no porto de Zarzis (sudeste da Tunísia), mas as autoridades locais recusaram-se a acolhê-los, obrigando-o ficar longe do porto enquanto se espera por novas instruções das autoridades competentes.

Médicos do Crescente Vermelho tunisino prestaram cuidados e assistência quinta-feira, pela segunda vez, aos 40 migrantes, entre eles oito mulheres.

-0- PANA YY/IN/BEH/DIM/DD 20julho2018



20 Julho 2018 09:02:15


xhtml CSS