Nações Unidas querem processar seita Boko Haram e grupos extemistas na Nigéria

Nova Iorque, Estados Unidos (PANA) – O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos declarou sexta-feira que os membros da seita islamita Boko Haram e os outros grupos extremistas na Nigéria poderão ser processados por crimes de guerra por causa dos seus atos deliberados que se assemelham à limpeza étnica ou religiosa.

Um comunicado do Alto Comissariado, sedeado em Genebra (Suíça), reiterou os apelos à Boko Haram e a outros grupos extremistas na Nigéria para a cessação dos seus ''ataques cobardes” contra civis, políticos, membros de instituições governamentais, as forças de segurança e cidadãos estrangeiros.

"O Alto Comissariado sublinhou igualmente que os militantes da Boko Haram e de outros grupos, se forem processados por ataques em grande escala ou sistemáticos contra as populações civis por considerações religiosas ou étnicas, poderão ser considerados como culpados de crimes contra a humanidade", indica o 5comunicado.

Ele indica que "atos deliberados relativos à limpeza religiosa ou étnica poderão igualmente ser assimilados a crimes contra a humanidade".

O Alto Comissariado exortou o Governo da Nigéria a respeitar os direitos humanos durante as  patrulhas de segurança pelas forças da ordem e manifestou as suas preocupações na sequência do número avultado de vítimas, das quais vários civis, e a destrução massiva de casas e bens.

Nas últimas semanas, mais de 220 pessoas morreram em confrontos violentos entre o Exército nigeriano  e o grupo islamita Boko Haram.

-0- PANA AA/VAO/ASA/TBM/SOC/CJB/TON  18maio2013

18 Maio 2013 11:51:15


xhtml CSS