Nações Unidas apresentam pêsames à RDC por morte de Papa Wemba

Kinshasa, RD Congo (PANA) – O representante especial do Secretário-Geral das Nações Unidas na RD Congo e chefe da Missão das Nações Unidas para a Estabilização neste país (MONUSCO), Maman Sambo Sidikou, apresentou em nome de toda a família onusina as suas "sinceras condolências" à toda a nação congolesa pelo falecimento do artista músico congolês conhecido sob o nome de “Papa Wemba”.

Falando quarta-feira na conferência semanal da ONU, Charles Antoine Bambara, porta-voz da MONUSCO, Sidikou disse estar profundamente entristecido pelo desaparecimento de Papa Wemba que, segundo ele, « é uma lenda e um artista de grande talento que ergueu mais a música e a cultura congolesa e a de toda África em geral no domínio da música mundial ».

Convidado a participar no nono festival das músicas urbanas de Anoumabo (Femua), em Abidjan, organizado anualmente na Côte d'Ivoire, o cantor congolês caiu em palco e em plena prestação depois duma indisposição.

Ele caiu no pódio enquanto tentava encerrar a série de espetáculos da penúltima jornada do Femua.

Nascido a 14 de junho de 1949, em Lebufu, na província de Sankuru (centro da RD Congo), Jules Shungu ou Papa Wemba foi autor, compositor e intérprete de talento. Deixa um rico repertório constituído por obras de alta fatura.

Ele deu à rumba congolesa uma marca muito particular, nomeadamente, associando estilos estrangeiros à verdadeira rumba. Os seus restos mortais são repatriados para Kinshasa esta quinta-feira.

Segundo um comunicado do Femua, uma grande noite artística para prestar homenagem ao « rei da rumba congolesa » estava prevista na noite de quarta-feira à quinta-feira, em Abidjan, a capital económica ivoiriense.

-0- PANA KON/BEH/IBA/MAR/IZ 28abril2016

28 Abril 2016 07:33:49


xhtml CSS