Mulheres sul-africanas dispostas a trabalhar para desenvolvimento comunitário

Cidade do Cabo- África do Sul (PANA) -- Mais de mil mulheres originárias de Alexandria, perto de Joanesburgo, na África do Sul, adoptaram quarta-feira, uma declaração de intenção para trabalhar em parceria com os sectores público e privado com vista a acelerar o desenvolvimento e as prestações de serviços nos seus bairros, como condição prévia à paz e segurança.
Reunidas sob o lema "Instaurar a paz nas nossas comunidades", estas mulheres qualificaram este fórum de "quadro positivo para o diálogo".
Falando sobre as recentes violências ocorridas na África do Sul, as mulheres estimaram que os ataques agressivos e xenófobos contra os migrantes africanos traumatizaram a África do Sul no seu todo.
Segundo elas, unicamente em Alexandria, a população é composta por descendentes directos de diversas nacionalidades.
As mulheres prometeram prosseguir com a actividade de reconstrução das suas estruturas familiares para restabelecer a ordem e uma paz duradoura no seio da comunidade.
Respondendo-lhes, o ministro sul-africano encarregue das Colectividades Locais, Qedani Mahlangu, sublinhou a necessidade de estabelecer parcerias com a sociedade civil, o sector privado e o Governo com vista a finalizar os projectos tais como a construção de casas e o desenvolvimento dos transportes em Alexandria.
Mahlangu reiterou o compromisso do Governo de fazer de Alexandria uma prioridade absoluta no sector do desenvolvimento.
As mulheres, que representam organizações locais, Organizações Não Governamentais (ONG) e igrejas, participaram nas orações de cura, em ateliers sobre a gestão de conflitos, os direitos humanos, o reforço da paz, a educação cívica e dos cidadãos, e sobre a liderança.

24 Julho 2008 20:53:00


xhtml CSS