Mulheres reivindicam participação em 40 % das autárquicas em Cabo Verde

Praia, Cabo Verde (PANA) – A Rede de Mulheres Parlamentares (RMPCV), em parceria com instituições e Organizações não Governamentais femininas, está a realizar uma campanha junto de partidos políticos para o aumento em 40 porcento do número de mulheres nas listas para as eleições autárquicas previstas para meados deste ano em Cabo Verde, soube a PANA terça-feira na Praia de fonte segura.

A iniciativa inscreve-se num projeto para aumentar em 40 porcento o número de mulheres nas autárquicas de 2012 e em lugares elegíveis, com vista a ampliar a participação  política feminina no processo de desenvolvimento local.

A primeira campanha para o aumento de mulheres nas listas para as eleições autárquicas em Cabo Verde teve lugar em 2008 e traduziu-se numa participação de 22,2% da camada feminina.

Segundo a presidente da RMPCV, Cláudia Rodrigues, o objetivo da presente campanha é atingir a paridade nas listas, "o que significa não menos de 40 porcento e não mais de 60 porcento de qualquer sexo nas listas para as eleições autárquicas", que deverão ter lugar entre maio e julho deste ano.

Entre os nomes já conhecidos para as listas nas eleições autárquicas, o PAICV (no poder) vai concorrer com quatro mulheres: Rosa Rocha, no município de Porto Novo, Vera Almeida, que se recandidata a mais um mandato no município do Paul, Leonesa Fortes, no município da Ribeira Grande, todos na ilha de Santo Antão, bem como a deputada Filomena Vieira, que concorre no município de São Vicente, o segundo maior município do país.

O Movimento para a Democracia (MpD), maior partido da oposição, vai apresentar Glória Silva como candidata à presidente da Câmara Municipal da Ribeira Brava, na ilha de São Nicolau.  

Cláudia Rodrigues, que também já foi presidente do Instituto Cabo-verdiano para a Igualdade e Equidade de Género (ICIEG),  afirmou que Cabo Verde tem vindo a registar conquistas importantes a nível do aumento da participação política da mulher, graças a um esforço crescente de apresentação de listas mais equilibradas em questão de género.

Isto foi constatado nas eleições legislativas de 2011 com um maior engajamento dos partidos políticos em aumentar a participação feminina na composição das suas listas. Dos 504 participantes 320 eram homens e 184 mulheres, o que significou uma taxa de participação feminina de 36,5 porcento.

No governo constituído pelo líder do PAICV, José Maria Neves, vencedor das eleições legislativas do ano passado, 40 porcentro dos cargos ministeriais são ocupados por mulheres, o que faz de Cabo Verde um dos primeiros a alcançar este nível de paridade do género em todo mundo.

Um estudo que analisa a igualdade de género nos parlamentos em 150 países, divulgado recentemente pela União Inter-Parlamentar (UIP), situa Cabo Verde em 61º lugar, com 20 porcento de mulheres deputadas.

-0- PANA CS/TON 06mar2012


06 Março 2012 13:09:50




xhtml CSS