Moçambique instala pontes móveis de resposta a emergências

Boane, Moçambique (PANA) - O Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, inaugurou quinta-feira, no distrito de Boane, província de Maputo, sul de Moçambique, equipamento composto por pontes metálicas móveis para responder a situações de emergência no caso de cheias e cortes nas estradas e danificação de pontecas.

Trata-se de um equipamento adquirido na China, financiado na totalidade pelo Governo de Moçambique, orçado em cerca de 11,9 milhões de dólares norte-americanos, composto por 10 plataformas de pontes metálicas transportadas em igual número de viaturas especializadas.

Das pontes inauguradas, cuja gestão está a cargo do Instituto Nacional de Gestão das Calamidades (INGC), destaca-se uma de 21 metros de comprimento, outra de 75 e a terceira de 45 metros, todas com uma largura de cinco metros e com capacidade máxima para permitir o trânsito de 60 toneladas de carga.

“Não viemos fazer mais do que o que o povo nos manda fazer. Moçambique é um país ciclicamente assolado por calamidades traduzidas por secas ou então chuvas intensas que provocam cheias e inundações”, disse Nyusi falando no ato inaugural.

Explicou que, neste momento, Moçambique está a enfrentar a seca e o elevado custo de vida porque nos últimos anos não tem chovido o suficiente mas também quando há chuvas são em demasia ao ponto de destruir estradas e várias infraestruturas.

“Temos várias maneiras para resolver os problemas de cheias e esta é uma delas para mitigar parte dos efeitos, repondo a rápida transitabilidade das vias. Para o caso da seca, é preciso que tenhamos capacidade financeira para retenção de água e construção de diques para irrigação”, disse.

Revelou que o Governo projeta construir este tipo de infraestruturas em Mapai e Massingir (na província meridional de Gaza), onde quando chove as águas destroem.

Defendeu que o mesmo deve ser feito na Moamba Major (Maputo) e em todo o território nacional para se poder reter a água para a irrigação.

Este processo, segundo Nyusi, é longo e exige de todos os Moçambicanos o aumento da produção "para podermos ter reserva financeira para resolver os problemas para sempre e enquanto isso não acontecer temos que arranjar soluções imediatas".

“O Governo tem que prevenir e não limitar-se a chorar e lamentar mas trazer soluções. Uma das soluções é esta que hoje entregamos. Não quisemos esperar pela chuva, este equipamento está pronto a servir intervindo onde for necessário”, acrescentou Nyusi.

Segundo o estadista moçambicano, o objetivo do Governo consiste em ter este tipo de equipamento distribuído pelas regiões sul, centro e norte do país.

Explicou que estas infraestruturas não substituem as pontes metálicas colocadas em vários locais, mas soluções imediatas para casos de emergência.

Na sua intervenção, o chefe de Estado encorajou a população a continuar a produzir e a precaver-se das cheias e inundações, fixando suas residências em sítios altos e seguros.

“Não vamos ficar intimidados com secas, cheias, mesmo com os ataque militares e a situação económica desfavorável. Temos que nos manter vigilantes por que existem aqueles que não produzem e roubam das machambas dos outros”, disse Nyusi.

-0- PANA AIM/IZ

16 Dezembro 2016 12:12:07


xhtml CSS