Missão africana no Sudão transfere autoridade à força ONU-UA

Dakar- Senegal (PANA) -- A Missão das Nações Unidas e da União Africana em Darfur (UNAMID) vai substituir formalmente segunda-feira a Missão da União Africana no Sudão (AMIS), numa cerimónia a ter lugar no quartel da nova força em El Fasher.
Segundo um comunicado de imprensa publicado pela missão conjunta ONU- UA, a transferência de autoridade, em conformidade com o previsto na resolução 1769 do Conselho de Segurança da ONU de 31 de Julho de 2007, compreenderá uma cerimónia de assinatura entre as duas partes na presença dum representante do Governo sudanês.
Para além disso, as tropas da UA vão trocar os seus capacetes verdes pelos azuis da ONU.
Falando da transferência da autoridade, o representante especial da ONU-UA em Darfur e chefe da UNAMID, Rodolphe Adada, disse que "a situação em Darfur não vai mudar do dia para a noite".
"Contudo, estamos optimistas que o desdobramento da UNAMID vai ajudar a começar a melhorar a segurança em Darfur e criar um clima favorável ao alcance duma resolução negociada do conflito, à distribuição de assistência humanitária a milhões de deslocados e ao desenvolvimento da região", disse Adada.
A nova missão, autorizada pelo Conselho de Segurança da ONU a 31 de Julho de 2007, será a maior operação de manutenção de paz das Nações Unidas no mundo, com cerca de 20 mil tropas e mais de seis mil polícias e pessoal civil.
Cerca de nove mil pessoais uniformizados estão no terreno actualmente, incluindo sete mil tropas e mil e 200 polícias da AMIS, criada em 2004 para ajudar a trazer a paz a Darfur, bem como soldados e polícias da ONU no âmbito dos "pacotes de apoio pesado e ligeiro" da ONU desdobrados no passado para apoiar a AMIS.
A força da AMIS integra 10 batalhões de infantaria do Ruanda, da África do Sul, da Nigéria e do Senegal.
Eles são complementados por uma unidade policial do Quénia, por uma companhia da Gâmbia, por uma equipa de engenharia da China e por mais de mil polícias de mais de 25 países, assim como por uma unidade da Polícia do Bangladesh.
Tropas do Egipto, do Paquistão e da Etiópia, bem como uma unidade do Nepal deverão ser desdobradas nos próximos dois meses.
Entretanto, oficiais da ONU lamentaram a falta de equipamento necessário para apoiar as tropas, sobretudo de meios aéreos como helicópteros, e apelaram aos Estados membros para resolver este problema.
Mais de 50 tropas da UA morreram em Darfur desde 2004, dos quais 12 em consequência dum ataque em Haskanita, no sul de Darfur, em Setembro último.

30 Dezembro 2007 10:26:00




xhtml CSS