Ministra sul-africana visita escolas acusadas de racismo

Cidade do Cabo- África do Sul (PANA) -- A Ministra da Educação na província sul-africana de Limpopo, Joyce Mashamba, liderou quarta-feira uma série de inspecções às escolas provinciais acusadas de discriminação racial nos seus critérios de admissão.
O porta-voz do Ministério da Educação na província de Limpopo, Freddy Greaver, disse que a Ministra Mashamba e outros responsáveis visitaram a Escola Primária "Piet Potgiester" em Mokopane e o Liceu "Frans du Toit" em Phalaborwa, depois de pais negros terem reclamado que o acesso às escolas estava a ser negado aos seus filhos.
Os pais foram alegadamente informados que os seus filhos ou não possuíam qualificações para admissão ou que as escolas já estavam cheias.
"Pais furiosos pensam que foram mentidos e que o motivo é muito diferente, algo ligado à discriminação injusta", disse Grever, acrescentando que "não queremos tirar conclusões apressadas ainda, mas não teremos outra alternativa senão agir duramente se descobrirmos alguma forma de discriminação racial ou outra qualquer".
Adiantou que o departamento provincial não irá hesitar em assumir a gestão completa de qualquer escola que se descubra ser racista.
Delegações de responsáveis e parceiros educacionais também visitaram as escolas com menos recursos e pior desempenho de Limpopo para inspeccionar os registos, horários, registos de assiduidade dos professores e financeiros.
"Vamos tentar perceber por que elas tiveram um mau desempenho, quando o resto da província conseguiu alcançar uma média de 10 por cento de melhoria nas taxas de aprovação", adiantou o porta- voz.
Freddy Greaver sublinhou que "também vamos nos encontrar com os pais, alunos e outros parceiros para auscultar os seus pontos de vista sobre o assunto".
As delegações vão elaborar um relatório de cada visita como base para futuras intervenções nos problemas das escolas.

15 Janeiro 2003 15:19:00




xhtml CSS