Militante antiesclavagista condenado à prisão na Mauritânia

Nouakchott, Mauritânia (PANA) – O presidente da Iniciativa para a Ressurgência do Movimento Abolicionista (IRA) na Mauritânia, Biram Ould Dah Ould Abeid, foi condenado a um ano de prisão, incluindo seis meses efetivos, pelo Tribunal Correcional de Nouakchott, soube a PANA de fontes judiciais.

O militante antiesclavagista foi acusado de « violências, assaltos e agressões contra agentes da força pública » a 13 de dezembro último numa esquadra da Polícia do subúrbio de Nouakchott.

O tribunal condenou igualmente cinco outros militantes da IRA, nomeadamente Cheikh Ould Abidine, Alioune Ould M'bareck Vall, Balla Touré, Alioune Ould Bouby e Dah Ould Boushab a  seis meses de prisão com pena suspensa.

O movimento antiesclavagista está indignado por um veredito « injustiço contra homens cuja única culpa é ter denunciado » às autoridades um caso de escravidão duma jovem e reafirmou a sua « determinação a continuar o combate contra a escravidão, a discriminação e a exclusão » até a erradicação destas práticas na Mauritânia.

-0- PANA SAS/JSG/MAR/TON 10Jan2011

10 Janeiro 2011 12:10:13


xhtml CSS