Microsoft compromete-se a formar líderes africanos em TIC

Dakar- Senegal (PANA) -- A empresa norte-americana de informática Microsoft projecta criar um programa de formação e reforço das capacidades no domínio das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) para membros de Governos dos países da África Ocidental e Central, soube a PANA em Dakar.
Um acordo assinado segunda-feira na capital senegalesa entre o director do Centro Africano dos Estudos Superiores em Gestão (CESAG), Mady Koanda, e o presidente da Microsoft para África, Cheikh Modibo Diarra, prevê o fornecimento de materiais pedagógicos e a formação de formadores especializados.
O CESAG vai garantir a formação dos futuros quadros dos Governos, bem como do sector privado de vários países africanos.
Segundo Cheikh Modibo Diarra, o objectivo visado por esta convenção é permitir aos Governos dos países africanos apropriar-se das TIC, aperfeiçoar e racionalizar as suas intervenções neste domínio.
"Existe uma reflexão a lançar sobre a maneira de utilizar as TIC em África para acelerar o desenvolvimento", explicou Diarra, precisando que "as tecnologias de informação e comunicação têm a capacidade de acelerar a aquisição do conhecimento e podem permitir, através da transferência das perícias ao Estados, estimular o desenvolvimento de África".
O presidente da Microsoft para África expressou o seu desejo de dar o mesmo apoio para a formação doutros representantes de Governos em outras regiões do continente, declarando que "ao formar suficientemente competências para os sectores público e privado é o continente que será servido".
"Vamos buscar os melhores especialistas no mundo para permitir ao CESAG garantir esta formação", assegurou.
Por seu turno, o director-geral do CESAG, Mady Koanda , afirmou que "é uma oportunidade para o CESAG ajudar os diferentes decisores do continente a melhor utilizar as TIC para chegar ao desenvolvimento dos seus países".
A importância numa convenção de parceria "é que cada um cumpra com o seu compromisso e o CESAG vai cumprir com o seu para evitar que os países africanos africanos continuem a ser marginalizados no domínio das TIC", precisou o director-geral do CESAG.

29 Janeiro 2008 12:39:00


xhtml CSS