Membros da AI e jornalista detidos por espionagem na Gâmbia

Banjul- Gâmbia (PANA) -- Dois altos responsáveis da Amnistia Internacional (AI) e um jornalista gambiano do jornal "Foroyaa" foram detidos na cidade gambiana de Basse, a cerca de 400 quilómetros da capital Banjul, por espionagem, soube-se segunda-feira de fonte segura.
A directora interina da AI para África, Tania Bernath, o director de campanha da AI para a Libéria, Serra Leoa e Gâmbia, Ayobele Ameen, bem como o jornalista Yaya Dampha foram detidos sábado por agentes da Agência Nacional das Informações (NIA).
De acordo com fontes em Basse, as três pessoas foram interpeladas e conduzidas à residência do prefeito de polícia da cidade, onde foram interrogados durante uma hora pela NIA e mais tarde transferidos para o comissariado desta localidade.
Apesar de terem sido acusados de espionagem, elas ainda não foram inculpadas.
As fontes indicaram que as três pessoas passaram a noite no comissariado de Basse, antes de serem escoltadas em Banjul por dois oficiais da Polícia.
No Comando da Polícia em Banjul, elas foram vistas por jornalistas e dois militantes dos direitos humanos entraram em contacto com elas.
Os responsáveis da AI chegaram terça-feira na Gâmbia para promover uma sessão de formação sobre boa governação para funcionários e jornalistas, bem como levar a cabo investigações sobre presumíveis violações dos direitos humanos no país.
Eles foram detidos em Basse quando entrevistavam parentes de pessoas encarceradas em locais desconhecidos pelo Governo há mais de um ano.

08 Outubro 2007 13:01:00




xhtml CSS