Mbeki vai expor o NEPAD na 8ª Cimeira da ASEAN

Cidade do Cabo- África do Sul,(PANA) -- O presidente Sulafricano, Thabo Mbeki, deixou segunda-feira o seu país para assistir à 8ª Cimeira da Associação das Nações Unidas do sudeste Asiático (ASEAN) em Phnom Pen,no Cambodja, durante a qual deverá falar da Nova parceria para o desenvolvimento de África(NEPAD).
O chefe de Estado da África do Sul foi convidado pela ASEAN, que integra a Indonésia, a Malásia, as Filipinas, a Singapura, o Burnei Darussalam, o Cambodja, o Laos, o Myanmar, a Tailândia e o Vietname, para tomar a palavra durante a Cimeira, o que constitui a primeira ocasião para incrementar a cooperação Sul-Sul e reforçar a solidariedade afro-asiática no quadro da NEPAD.
Trata-se também da primeira vez que um não-membro da ASEAN poderá se dirigir à Cimeira .
No plano económico, a ASEAN pertence ao mundo desenvolvido.
Mas desde a sua criação, alguns dos seus Estados membros fazem parte das 20 economias mais competitivas do Mundo.
O mercado dos consumidores da ASEAN representa 500 milhões de pessoas com um rendimento médio por habitante de 1.
314 dólares.
O produto interno bruto(PIB) total dos países membros da ASEAN é de 632,5 mil milhões de dólares.
O total das exportações eleva-se a 339,2 mil milhões de dólares.
Na altura da assinatura da Declaração de Banquecoque em 1967, a região da Ásia do Sudeste encontrava-se em ebulição, devido a guerra do Vietname levada a cabo pelos Estados Unidos contra esse país.
Desde então, a ASEAN desenvolveu esforços para fazer desta região uma zona de paz, ao declarar nomeadamente em 1971, entre outras questões, a região da Ásia do Sudeste como zona de paz, de liberdade e de neutralidade(ZOPFAN), e ao assinar um Tratado de amizade e cooperação na Ásia do sudeste em 1976.
A ministra dos Negócios Estrangeiros, Nkoszana Dlamini Zuma, e o conselheiro político, Titus Mafolo, acompanham ao presidnete Mbeki na sua viagem pela Ásia .

02 Dezembro 2002 17:07:00


xhtml CSS