Maurícias vai eliminar clorofluorcarbonetos em 2005

Port-Louis- Ilhas Maurícias - As Ilhas Maurícias d-ecidiram eliminar totalmente os clorofluorcarbonetos (CFC) em 2005, ou seja cinco anos antes do prazo fixado pelos países em via de desenvolviemento, declarou quarta-feira o ministro maurício do Ambiente, Rajesh Bhagwan.
Falando por ocasião do lançamento de um folheto sobre a preservação da camada de ozono em Port-Louis, Bhagwan indicou que as Ilhas Maurícias poderiam atingir este objectivo graças às medidas legais e fiscais tomadas até à data presente.
Citou, entre outras medidas, o Consumer Protection (Price and Supplies Control) Act de 1999 para controlar a importação dos aerossóis que contenham CFC e equipamentos afins, designadamente geleiras e arcas congeladoras.
Segundo o ministro do Ambiente, foi concedida uma moratória para se registar os produtos e equipamentos contendo CFC, ao passo que uma taxa aduaneira de 40 por cento é imposta sobre todos os produtos CFC.
Pelo contrário, a taxa é reduzida "para os produtos que respeitarem a camada de ozone", acrescentou Bhagwan.
São substâncias químicas libertas pela poluição industrial e cuja consequência directa é a destruíção da camada de ozone provocando uma filtração deficiente das radiações ultravioletas, de onde derivam outras graves consequências.
O ozone é um gás azulado, que é uma forma alotrópica (03) do oxigénio (02), com um cheiro penetrante característico e que se encontra na atmosfera impedindo que os raios ultravioletas da estratosfera cheguem ao solo, protegendo assim a Terra das radiações prejudiciais.

17 Setembro 2003 20:00:00


xhtml CSS