Marrocos pede oficialmente para reintegrar União Africana

Addis Abeba, Etiópia (PANA) – O Reino de Marrocos apresentou oficialmente um pedido de adesão à Ata Constitutiva da União Africana (UA) e para tornar-se novamente no membro da organização pan-africana, declarou, sexta-feira última a Comissão da UA (CUA).

Taieb Fassi Fihri, conselheiro do Rei Mohammed VI para os Negócios Estrangeiros, entregou o pedido à presidente da CUA, Nkoszana Dlamini-Zuma, sobre a decisão de Marrocos devoltar à organização continental durante uma reunião em Nova Iorque (Estados Unidos), declarou a UA num comunicado.

Os dois diplomatas reuniram-se, a 22 de setembro de 2016, para um encontro bilateral à margem da 71ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU) em Nova Iorque.

O conselheiro marroquino informou Dlamini-Zuma que o seu país depositou uma carta de intenção,  a 22 de setembro corrente em Addis Abeba, na Etiópia.

Um enviado especial marroquino iniciou uma missão divulgar a candidatura de Marrocos para reintegrar a UA, mas dúvidas subsistem em  relação à sua oposição deste último ao reconhecimento incondicional do Sara Ocidental pela organização pan-africana.

O rei Mohammed VI escreveu uma carta à última Cimeira da UA em Kigali, no Rwanda, exprimindo o interesse de  Marrocos em integrar a organização continental.  

A Comissão  da UA  reagiu ao pedido exortando  Marrocos a aceitar reconhecer oficialmente a Ata Constitutiva da UA que faz dpo Sara Ocidental um membro dos seus membros.

Acusando a receção desta carta, a presidente da Comissão da UA informou o seu portador que o processo seguirá os seus trâmites, incluindo informar oficialmente os Estados-membros, em conformidade com as disposições da Ata Constitutiva da UA.

Depois disto, o Reino de Marrocos será oficialmente informado sobre os resultados, acrescentou Dlamini-Zuma.

Paradoxalmente, uma campanha para pressionar os Estados-membros da UA para revogar o estatuto de membro da UA atribuído ao Sara Ocidental está a ser movida por um grupo de países, conhecidos como  « Amigos de Marrocos ».

Marrocos retirou-se da Organização da Unidade Africana (OUA) em 1984, em protesto contra o reconhecimento do Sara Ocidental, como país membro de pleno direito desta organização pan-africana que, seis anos mais tarde, se tornará na União Africana (UA).

Marrocos ocupa o território do Sara Ocidental desde 1975, pouco depois do seu abandono pela Espanha que o colonizava.

-0- PANA AO/VAO/MTA/IS/IBA/FK/DD 24set2016

24 Setembro 2016 12:03:12




xhtml CSS