Manifestações populares de 17 de agosto dominam imprensa no Malawi

Blantyre, Malawi (PANA) – A determinação dos Malawianos de voltar às ruas quarta-feira para prosseguir as manifestações antigovernamentais de 20 de julho último em todo o território nacional foi o principal assunto em manchete dos jornais locais da semana finda.

"Respondam à Petição ou as Pessoas Repetirão as suas Ações" tal é o título do jornal "The Nation", citando o Comité Consultivo dos Direitos Humanos (HRCC, sigla em inglês), para quem, se o Presidente malawiano Bingu wa Mutharika não der uma resposta satisfatória à sua petição até 16 de agosto corrente,  os cidadãos voltarão a sair à rua a 17 de agosto.

« Não desejamos ver pessoas morrer ou sofrer quando nos batemos para as defender », indicou um dos organizadores, Benedicto Kondowe, nas colunas do jornal « Daily ».

O periódico adverte o Presidente a resolver os problemas levantados na petição de 20 de julho sob pena de os cidadãos "procurarem uma solução para ele".

O Governo está a fazer tudo para impedir uma repetição dos acontecimentos de 20 de julho último, mas parece que os Malawianos não tencionam resignar-se.

« Eu não resido nas ruas”, afirmou por seu turno o Presidente Mutharika no “Daily Times", declarando que se os membros da sociedade civil tiverem problemas com o seu Governo "eles não precisam de sair à rua", mas que devem aproximar-se dele no Palácio Presidencial.

« Se quiserem uma audiência, eles devm contactar os serviços do meu gabinete,  mas não na rua, pois eu não resido nas ruas », acrescentou o Presidente Mutharika, citado pelo Daily Times.

Mas as consequências destes acontecimentos fizeram-se sentir além fronteiras se se tiver em conta os títulos dos jornais da semana finda.

"Projeto retira prémio a Mutharika", anunciou o jornal The Nation, citando Hunger Project, uma Organização não Governamental sediada nos Estados Unidos, que declarou ter retirado ao Presidente Mutharika, devido aos acontecimentos de 20 de junho último, a atribuição do Prémio África pela Liderança para o Fim Duradouro da Fome.

Dada a situação prevalacente no Malawi, nomeadamente as interrogações sobre o papel do Governo nos acontecimentos violentos sem precedentes de 20 a 21 de julho último, sublinha o jornal, o Conselho de Administração e Enquadramento do Hunger Project (HP), depois de  consultar o júri independente, decidiu renunciar a atribuir o galardão ao Presidente Mutharika.

Outras informações relativas à desvalorização do kwacha (moeda local) de 10 porcento e a segunda posição que ocupa a Polícia, após as prostitutas, no que diz respeito às taxas de prevalência do HIV/Sida, figuram também entre os assuntos que fizeram destaque nos jornais.

-0- PANA RT/SEG/AKA/AAS/SOC/FK/IZ 14agosto2011

14 Agosto 2011 22:49:20


xhtml CSS