Mandela foi último grande libertador do século XX, segundo Obama

Joanesburgo, África do Sul (PANA) – O Presidente norte-americano, Barack Obama, homenageou o ícone mundial, o ex-Presidente sul-africano Nelson Mandela, manifestando a honra que sente ao vir à África do Sul "para celebrar uma vida sem igual".

"Pessoas de todos os horizontes (e) o mundo inteiro agradecem-vos de terem partilhado Mandela connosco. A sua luta era a vossa luta. O seu triunfo era o vosso triunfo", disse Obama a milhares de Sul-africanos reunidos, terça-feira, no célebre FNB Stadium para homenagear Mabida, nome afetuoso de Mandela.

Num discurso fascinante de 20 minutos, Obama recordou como Mandela, que nasceu durante a primeira guerra mundial, se tornou o "último grande libertador do século XX". Madiba foi o primeiro chefe de Estado negro da África do Sul.

O primeiro Presidente negro dos Estados Unidos da Ámérica, filho de pai queniano e de mãe americana, sublinhou que Mandela utilizou os seus 27 anos de prisão para aprender a língua e os costumes dos seus opressores.

"Mandela ensinou-nos o poder da ação e o poder dos ideais, a importância das razões e dos argumentos. Ele entendeu que os ideais não podem ser retidos entre os muros de uma prisão", prosseguiu Obama.

O Presidente norte-americano comparou Mandela com Gandhi, com Martin Muther King e com Abraham Lincoln, antes de convidar o mundo a fazer viver a herança de Madiba lutando contra a desigualdade, a pobreza e o racismo.

Para ele, Madiba ganhou um lugar na história graças à luta.

"Amámos-lhe tanto (...). Ele era um homem de carne e osso, um filho e um marido (...). Por isso podemos aprender muito com ele", acrescentou Obama, que foi muito ovacionado.

-0- PANA CU/VAO/NFB/AB/TBM/CJB/TON   10dez2013

10 Dezembro 2013 22:33:11




xhtml CSS