Malawi tira circuncisão da estratégia de luta contra sida

Blantyre- Malawi (PANA) -- O Malawi não fará da promoção da circuncisão para os rapazes uma política oficial de prevenção do HIV/Sida, anunciou quarta-feira em Blantyre fonte oficial.
"Não temos prova científica que demonstre que a circuncisão é um meio seguro para reduzir a propagação da sida", declarou a secretária principal para as Questões do HIV/Sida junto da Presidência da República, Mary Shaba.
Estudos realizados recentemente no Uganda, no Quénia e em Marrocos demonstraram que a taxa de prevalência diminuiu até a 60 porcento nos homens circuncisos.
Mas o bispo anglicano, Bernard Malango, afirmou que outros estudos demonstraram que a taxa de prevalência da sida está elevada em várias localidades onde se praticava a circuncisão.
A circuncisão é uma prática cultural e religiosa obrigatória nos muçulmanos e nalgumas comunidades no Malawi.
A interesse por esta prática aumentou consideravelmente no país desde que circulam informações segundo as quais ela pode ter um impacto sobre a transmissão da doença.
Há cada vez mais homens que afluem para hopitais ou centros de saúde públicos a fim de ser circuncidados, pagando dinheiro ou gratuitamente.
Segundo as estimativas, a taxa de prevalência do HIV/Sida no Malawi é atualmente de 12 porcento.

16 Setembro 2010 20:22:00


xhtml CSS