Mais de 38 mil deslocados internos registados no oeste da Côte d'Ivoire

Dakar, Senegal (PANA) – Mais de 38 mil deslocados internos foram recenseados nas localidades de Duékoué, Guiglo, Man, Danané, Binhouye e Zouhan Houin, no oeste da Côte d'Ivoire, com 30 porcento albergados em famílias de acolhimento que esperam confrontar-se com encargos suplementares consideráveis, indica um comunicado do Gabinete de Coordenação das Atividades Humanitárias das Nações Unidas (OCHA) divulgado quinta-feira em Dakar.

Segundo o documento, estas estatísticas resultaram dum recenseamento das populações deslocadas levado a cabo de 31 de janeiro a 7 de fevereiro de 2011, pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), pela Organização Internacional para as Migrações (OIM), pelo Fundo das Nações Unidas para a População (FNUAP), pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), pela CARITAS e pela Cruz Vermelha ivoiriense.

A operação contou ainda com a colaboração das autoridades locais, depois dos atos de violência intercomunitária registados nas regiões do Médio Cavally e das Montanhas que obrigaram as populações a refugiar-se nas zonas mais seguras.

Contudo, este número de deslocados poderá ser maior, tendo em conta as pessoas que fugiram para além desta zona e ainda não foram identificadas, revela a mesma fonte.

Este exercício conjunto de recenseamento vai permitir avaliar melhor o perfil dos deslocados e as suas necessidades para garantir a sua proteção, melhorar a gestão dos sítios de acolhimento, distribuir de maneira coordenada e rápida a assistência necessária e procurar soluções duradouras.

As agências das Nações Unidas e as Organizações não Governamentais com os seus parceiros locais reafirmaram o seu apoio às autoridades locais na sua vontade de encontrar soluções duradouras.

« É indispensável abordar desde já a busca de soluções duradouras para o regresso, com dignidade, destas pessoas às suas casas e isto implica um trabalho árduo com as autoridades e as comunidades para reforçar a coesão social, dissipar os receios e criar um ambiente favorável ao regresso », lembrou Ndolamb Ngokwey, coordenador humanitário na Côte d'Ivoire.

Desde o início da crise, os atores humanitários presentes na Côte d'Ivoire já distribuíram assistência de emergência aos deslocados internos em termos de víveres, água e saneamento, abrigos, proteção e educação.

Com efeito, foram distribuídos alimentos a mais de 13 mil pessoas em Danané, Man e Duékoué, enquanto o saneamento foi melhorado pela construção de latrinas e o acesso à água potável facilitado graças ao reforço do sistema de armazenagem e de distribuição.

Mas, tendo em conta o número crescente de deslocados internos, é urgente mobilizar rapidamente recursos para poder responder às necessidades urgentes destas populações e das comunidades anfitriãs, indica o OCHA.

-0- PANA COU/TBM/SOC/MAR/IZ 11Fev2011

11 Fevereiro 2011 10:33:42




xhtml CSS