Mais de 120 mil livros escolares destruídos durante revolta popular no Burkina Faso

Ouagadougou, Burkina Faso (PANA) - O setor da educação foi o mais afetado durante a revolta popular que destituiu, a 30de outubro de 2014, o então regime de Blaise Compaoré, soube-se de fonte oficial em Ouagadougou.

Segundo o comunicado divulgado quarta-feira no termo do Conselho de Ministros, durante a insurreição popular de 30 a 31 de outubro último, 128 mil e 56 manuais escolares foram destruídos.

Foi danificada a loja do Centro Nacional de Manuais e Apetrechos Escolares (CENAMAFS), o que representa um prejuízo avaliado em um bilião e 231 milhões e 324 mil 395 francos CFA (cerca de dois milhões de dólares americanos), lê-se na nota.

Apenas 14 mil e 258 manuais escolares foram encontrados, 24 pessoas morreram e 625 mil outras ficaram feridas, tendo bens públicos e privados sido destruídos e pilhados na sequência desta revolta popular despoletada por uma proposta de lei que devia permitir a Compaoré candidatar-se à sua própria sucessão após 27 anos de poder sem partilha.

Mais de 600 pessoas encontraram-se desempregado devido à destruição de várias empresas supostamente pertencentes aos próximos do ex-Presidente da República.

Segundo o Instituto Free Afrik, um órgão independente especializado em atividades de formação, pesquisa e estudos económicos para África, as consequências dos danos da insurreição popular contra o regime derrubado de Compaoré variam entre 120 biliões (cerca de 205 milhões de dólares americanos) e 200 biliões de francos CFA (mais de 341 milhões de dólares americanos).

-0- PANA NDT/JSG/MAR/DD 27fev2015

27 Fevereiro 2015 15:28:54


xhtml CSS