MSF alerta para desnutrição e mortalidade para crianças malianas refugiadas na Mauritânia

Nouakchott, Mauritânia (PANA) – A Organização Não Governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF) considera "alarmante" a taxa de desnutrição e de mortalidade para crianças dos refugiados malianos no Campo de M’Bera, no leste da Mauritânia, indica um relatório divulgado quinta-feira em Nouakchott.

Segundo a MSF, "cerca de uma criança em cada cinco é desnutrida e 4,6 porcento delas sofrem das formas mais severas de desnutrição.

"Para as crianças com menos de dois anos de idade, a taxa de mortalidade ultrapassa o limiar de emergência com uma prevalência duas a três vezes superior noutros países que na Mauritânia", deplora o relatório.

"Estes petizes morrem de malária, de infeções respiratórias e de diarreias. Apenas 70 porcento destas crianças foram imunizadas contra o sarampo”, acrescenta MSF.

O relatório sublinha que o enfraquecimento das defesas imunitárias provoca muitas vezes complicações que estão na origem de doenças como a pneumonia e diarreias.

A ONG insta as autoridades mauritanas e a comunidade internacional a "repensar a ajuda humanitária e a imaginar atividades geradoras de receitas".

Segundo o último recenseamento do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), 54 mil cidadãos malianos chegaram à Mauritânia, fugindo do seu país devido ao conflito armado no norte do seu país.

-0- PANA SAS/AAS/FK/DD 11jan2013

11 يناير 2013 09:51:41




xhtml CSS