Luta contra homossexualidade em destaque na imprensa ganense

Accra, Gana (PANA) – Os médias ganenses focalizaram-se mais uma vez na questão da homossexualidade, ao passo que os responsáveis religiosos e políticos advogaram por uma ação firme contra esta prática.

Os líderes cristãos e muçulmanos foram mais longe ao pedir aos eleitores para rejetar os políticos que apoiarem a homossexualidade, mas os defensores dos direitos humanos reagiram ao afirmar que a criminalização desta prática era anticonstitucional.

« Líderes cristãos por uma luta conjunta contra os homossexuais », intitulou o jornal governamental "Daily Graphic", que publica na primeira página uma conferência de imprensa  do Conselho Cristão do Gana, onde o clero condenou firmamente este ato « ímpio ».

O jornal informa que os responsáveis da comunidade cristã do Gana apelaram à comunidade, incluindo as organizações religiosas e os chefes tradicionais, a juntar-se na luta contra o cancro da homossexualidade.

" Enquanto comunidade cristã no Gana, condenamos totalmente este ato contra natureza e ímpio e pedimos a todas as organizações religiosas, aos chefes tradicionais e a todos os ganenes com sexualidade decente para se juntar a esta campanha", declarou o secretário-geral do Conselho Cristão do Gana, o reverendo Fred Deegbe.

« Se este ato detestável e abominável for reconhecido pela lei do Gana, então a raiva de Deus vai abater-se sobre esta nação e as consequências serão insuportáveis », advertiu.

« Pedimos a todos os cristãos para votar contra os políticos que encorajam e apoiam a homossexualidade », afirmou.

Para o jornal "The Graphic" , a posição dos líderes cristãos é considerada como um teste para os políticos cujas ambições póliticas necessitam caução do eleitorado  religioso que vê a homossexualidade como um estilo de vida importado e uma aberração moral.

A comunidade muçulmana ganense condenou igualmente esta semana a prática da homossexualidade e o lesbianismo, mas também os casamentos homossexuais que são
« diabólicos e abomináveis ».

O presidente nacional da coligação da Comunidade Muçulmana do Gana (COMOG), Alhaji Mohammed Easah, que falava durante uma conferência de imprensa em Accra, disse que a comunidade muçulmana resistiria firmamente a toda tentativa de legalizar a homossexualidade,o lesbinismo e o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

-0- PANA MA/NFB/DIM/TON 23 julho 2011

23 Julho 2011 18:57:55




xhtml CSS