Líderes africanos rejeitam intervenção estrangeira em Darfur

Tripoli- Líbia (PANA) -- A cimeira africana sobre o Darfur, que reuniu em Tripoli (capital da Líbia) cinco chefes de Estado do continente, rejeitou qualquer intervenção estrangeira na crise reinante naquela província do oeste do Sudão e decidiu limitar a sua resolução ao quadro africano.
A reunião, assistida pelo líder líbio Muamar Kadafi, pelos Presidentes nigeriano e da União Africana Olusegun Obasanjo, sudanês Omar Hassan Al-Bachir, egípcio Hosni Moubarak, tchadiano Idriss Déby e eritreu Assias Afeworki, bem como pelo vice- primeiro-ministro gabonês Emmanuel Methogo, instou a retomada das negociações entre as partes em conflito antes do final de Maio.
Num comunicado final divulgado terça-feira na capital líbia, a cimeira apela aos países africanos para fornecer os elementos necessários para a consolidação da missão da União Africana (UA) em Darfur e exorta a comunidade internacional a providenciar apoio logístico a esta comissão.
A cimeira de Tripoli defendeu também o apoio do processo de reconciliação entre as tribos de Darfur e apelou às partes para o respeito e a aplicação do acordo de Ndjaména (Tchad) sobre o cessar-fogo e dos dois protocolos de Abuja relativos à segurança e ao melhoramento da situação humanitária, à cooperação com a missão da UA e ao comité de controlo do cessar-fogo.
Os participantes encarregaram um mecanismo para fazer o acompanhamento dos esforços desdobrados no terreno no âmbito da UA e reconduziu o mandato atribuódo a Muamar Kadafi para prosseguir os seus contactos com as partes implicadas na crise de Darfur até a resolução duradoura do problema.

17 Maio 2005 20:56:00




xhtml CSS