Líder sindical acusado de violação na África do Sul

Cidade do Cabo, África do Sul (PANA) - O líder do poderoso Congresso dos Sindicatos da África do Sul (COSATU), Zwlinzima Vavi, está a tentar conter as consequências do maior escândalo sexual do país desde a acusação de violação, há cerca de uma década, contra o atual Presidente Jacob Zuma.

Uma comissão de inquérito interno da COSATU será instaurada esta segunda-feira depois da queixa oficial de violação feita contra o líder político por uma mulher cuja identidade ainda não foi revelada.

Vavi admitiu ter mantido relações sexuais com uma jovem empregada na sede da COSATU em Joanesburgo, mas rejeita a acusação de violação.

"Todas as nossas relações eram entre dois adultos anuentes que se amavam", sublinhou Vavi num comunicado, acrescentando que estas alegações são uma conspiração que visa prejudicá-lo ou extorquir-lhe fundos.

Vavi aproveitou a rede Twitter este sábado para se defender contra as acusações de violação, declarando: "Sou um homem e portanto falível. Não sou santo".

Os advogados do líder da COSATU intentaram um processo judicial contra a mulher por extorsão de fundo quando souberam que ela e o seu marido reclamavam 200 mil dólares americanos em troca do seu silêncio.

-0- PANA CU/SEG/ASA/SSB/IBA/MAR/TON 28julho2013

28 Julho 2013 19:32:28


xhtml CSS