Líder rebelde burundês visita África do Sul

Bujumbura- Burundi (PANA) -- O líder do movimento rebelde Partido para a Libertação do Povo Hutu/Frente Nacional de Libertação (PALIPEHUTU- FNL), Agathon Rwasa, deixou Bujumbura domingo com destino a Pretória a convite da mediação sul-africana no conflito burundês, soube-se de fonte segura.
O chefe de Estado burundês, Pierre Nkurunziza, devia terminar domingo uma visita similar de cinco dias à África do Sul, a convite do seu homólogo sul-africano, Thabo Mbeki.
Esta ofensiva diplomática ocorre numa altura em que o Governo burundês e o último movimento rebelde activo no país têm dificuldades de concluir um acordo global e duradouro de cessar-fogo para pôr termo à guerra civil que dura há mais de 14 anos.
Um acordo de cessar-fogo liga, teoricamente, o Governo burundês ao PALIPEHUTU-FNL desde 7 de Setembro de 2006.
O acordo manteve-se até os violentos combates de Abril de 2008 que fizeram mais de 120 mortos em Bujumbura e nos seus arredores imediatos e causou a deslocação forçada de dezenas de milhares de pessoas.
O regresso a Bujumbura do líder do PALIPEHUTU-FNL, após mais de 20 anos de rebelião, permitiu a assinatura duma declaração conjunta de cessação imediata das hostilidades.
O cessar-fogo imediato parece funcionar no terreno e são as questões de ordem política, como o futuro do movimento rebelde e dos seus dirigentes, que continuam a colocar sérios problemas, indicou à PANA o porta-voz do PALIPEHUTU-FNL no seio do Mecanismo Conjunto de Verificação e Acompanhamento (MCVS) do acordo global de cessar-fogo, Anatole Bacanamwo.
A questão do futuro do PALIPEHUTU-FNL e dos seus dirigentes na cena política nacional, através duma melhor partilha do poder, terá levado a mediação sul-africana a convocar, sucessivamente, o chefe de Estado burundês e o líder rebelde em Pretória para tentar aproximar os seus pontos de vista ainda divergentes, indicou Bacanamwo.

08 Junho 2008 12:58:00




xhtml CSS