Libertação do líder de oposição egípcia em destaque no Egipto

Cairo- Egipto (PANA) -- A Libertação quarta-feira última, alegadamente "por razões de saúde", do líder da oposição egípcia, Ayman Nour, suscitou os comentários da imprensa deste país durante esta semana.
As especulações abundaram no tocante às verdadeiras razões pelas quais foi liberto o ex-candidato derrotado às presidenciais de 7 de Setembro de 2005, condenado no mesmo ano a cinco anos de prisão efectiva por alegadamente falsificação de documentos relativos à legalização do seu partido político, Al-Ghad (liberal).
Para alguns, o Presidente egípcio Hosni Mubarak espera que a soltura de Ayman Nour, de 44 anos de idade, permita abrilhantar a sua imagem manchada nestes últimos meses depois da detenção pelas forças de segurança de certos activistas, entre os quais um blogger germano- egípcios, Phillip Rizk, há apenas duas semanas.
"Reconhecemos - com todo o respeito pela integridade do sistema judiciário egípcio - que se trata de uma decisão política.
Quais são as razões desta decisão ?", interroga-se Arabist blog, um site de notícias panárabes muito consultado.
O Arabist blog estima que a libertação de Nour não é simplesmente um gesto dirigido à administração de Barack Obama, actual Presidente dos Estados Unidos de América.
"Acredito que a explicação mais plausível é que não se trata apenas de uma abertura para Obama mas Mubarak quer mudar a dinámica negativa nas relações entre o Egipto e os Estados Unidos", indicou.
Para outros comentadores, a libertação do líder da oposição egípcia se inscreve no âmbito da tentativa de Mubarak reconquistar a confiança dos Estados Unidos de América.
O Presidente egípcio, de 81 anos de idade, espera deslocar-se aos Estados Unidos em Abril ou Maio de 2009, e a libertação desta importante figura política egípcia pode facilitar as coisas para o seu país no estrangeiro.

21 Fevereiro 2009 15:00:00


xhtml CSS