Libertação de Jemil Mansour faz manchete na Mauritânia

Nouakchott- Mauritânia (PANA) -- A libertação provisória do opositor mauritaniano Jemil Mansour, ex-prefeito da comuna de Arafat, decidida terça-feira pelo juíz de instrução do primeiro gabinete do tribunal de Nouakchott, foi muito comentada pelos jornais publicados nesta semana no país.
O diário Nouakchott-Info de quarta-feira 21 de Janeiro publica, na sua manchete, a foto do homem levado em ombros para ser aclamado pelos seus adeptos com o título "após 12 dias de detenção: Jemil Mansour foi posto em liberdade provisória".
O mesmo jornal explicou com mais pormenores os factos que precederam a libertação do ex-prefeito da comuna de Arafat, que se refugiou em Bruxelas (Bélgica) após uma escala em Dakar (Senegal) em Junho de 2003, aproveitando-se da confusão criada por uma tentativa de golpe de Estado frustrada.
O jornal Calame de quinta-feira prestou a mesma informação com uma dose de alívio, sob o título "Jemil Mansour finalmente livre".
O mesmo jornal nota que "o líder islamista saíu de prisão terça-feira", um evento "festejado pelos seus amigos da oposição que organizaram um desfile com motorizadas nas ruas de Nouakchott".
O Authentique, pelo contrário, referiu-se às acusações que pesam sobre Jemil Mansour, designadamente as de "uma conspiração visando o derrube da ordem constitucional, bem como de adesão a uma associação não autorizada".

22 Janeiro 2004 18:31:00


xhtml CSS