Konaré esperado em Cartum depois do Sudão rejeitar força da UA

Cartum- Sudão (PANA) -- O presidente da Comissão da União Africana (UA), Alpha Omar Konaré, é esperado segunda-feira em Cartum para abordar a crise em Darfur, depois do governo sudanês descartar a necessidade duma força africana de manutenção da paz naquela conturbada região do oeste do Sudão.
Segundo a Agência Sudanesa de Notícias "SUNA", o Presidente Omar Hassan el Bashir e assessores diplomáticos têm realizado encontros com vista as negociações entre os beligerantes em Darfur, marcadas para 23 de Agosto.
A primeira ronda de negociações políticas realizada no mês passado entre o governo e os rebeldes do Movimento da Justiça e Igualdade e do Movimento de Libertação do Sudão fracassaram depois dos insurgentes colocarem seis condições para dialogarem com Cartum.
O chefe de Estado nigeriano e presidente da UA, Olusegun Obasanjo, realizou na semana passada consultas com Konaré e as partes beligerantes no Sudão para fixar o local e a data da próxima ronda de negociações.
Entretanto, Cartum informou oficialmente a UA da sua oposição à ideia do envio duma força africana de manutenção da paz em Darfur.
O governo rejeitou igualmente sugestões para aumentar o número de observadores do cessar-fogo da UA em Darfur, alegando que a segurança na região era da responsabilidade do Exército sudanês.
O governo sudanês considerou que uma equipa de cerca de 100 observadores do cessar-fogo da UA era suficiente para garantir a estabilidade.
Na semana passada, o Conselho de Segurança das Nações Unidas deu 30 dias a Cartum para desarmar as milícias árabes Janjaweed, acusadas de causarem a fuga de mais de um milhão de aldeões africanos que agora vivem em condições precárias em campos.
Por seu lado, as autoridades sudanesas disseram que precisam de mais tempo para desarmar as milícias, um ponto de vista partilhado pela Liga Árabe, que rejeitou qualquer forma de intervenção militar em Darfur.
Reunidos no Cairo (Egipto), os ministros dos Negócios Estrangeiros da Liga Árabe declararam que a organização estava "preparada para participar em qualquer mediação, sob a égide da UA, entre o governo sudanês e os rebeldes de Darfur".

09 Agosto 2004 09:31:00




xhtml CSS