Konaré defende integração política de África

Accra- Gana (PANA) -- O presidente da Comissão da União Africana (UA), Alpha Oumar Konaré, advogou domingo em Accra, capital do Gana, a integração política de África, considerando que apenas ela tirará o continente do marasmo e dos conflitos internos.
Falando na cerimónia de abertura da 9ª Cimeira Ordinária da UA, Konaré disse que a integração política é a única via que permitirá integrar as economias africanas.
Konaré disse aos chefes de Estado e de Governo que a União Africana entrará num impasse se as actuais políticas foram eternizadas, fustigando a falta de aplicação dos textos aprovados pelos Estados e a não ratificação dos protocolos sancionados pelos decisores africanos.
Outro problema levantado por Konaré são as cotas em atraso estimadas em 106 milhões de dólares americanos, dos quais 70 milhões no exercício corrente.
Apenas sete países pagaram o total das suas contribuições, enquanto cerca de 20 outros não desembolsaram nada para o exercício em curso.
Seis países devedores crónicos estão sob sanção e serão impedidos de participar no grande debate sobre o Governo da União.
"Se a mudança para a integração política não for feita, a UA continuará a ser uma organização pesada para se movimentar, incapaz de agir a tempo e balizar a via para os Estados Unidos de África", disse Konaré, que abdicou de se candidatar à sua sucessão na Presidência da Comissão da organização panafricana.
O ex-Presidente maliano sublinhou que as acções a serem empreendidas concernem a abolição das divisões artificiais, o fim das guerras e dos conflitos, antes de decisões idóneas no sentido de integrar politicamente o continente, ultrapassando as nacionalidades como estão definidas actualmente.
Relativamente a Darfur (oeste do Sudão), disse que a situação é grave, destacando que foi dado um passo importante com a aceitação, pelas autoridades sudanesas, do desdobramento das forças combinadas das Nações Unidas e da União Africana.
O presidente da Comissão da UA defendeu que, agora, os países africanos devem fazer tudo para que a força armada esteja operacional rapidamente no terreno.
Mais de 30 chefes de Estado participam na 9ª Cimeira da UA que deverá ser encerrada terça-feira na capital do Gana após a abordagem da criação do Governo da União, único ponto da agenda do encontro.

01 Julho 2007 15:15:00




xhtml CSS