Konaré considera cimeira de Sirtes "progresso decisivo"

Sirtes- Líbia (PANA) -- O presidente da Comissão da União Africana (UA), Alpha Oumar Konaré, qualificou de "progresso decisivo" a quinta cimeira ordinária dos chefes de Estado e de governo da Organização continental cujos trabalhos de dois dias arrancaram segunda-feira em Sirtes (centro da Líbia).
"A cimeira de Sirtes é um progresso decisivo para a nossa União.
Trata-se duma longa marcha progressiva para uma etapa mais definida que são as comunidades económicas regionais", sublinhou o chefe do executivo africano durante a sessão de abertura da cimeira da UA na cidade natal do líder líbio Muamar Kadafi.
Apelou igualmente aos participantes para consagrar os valores da Nova Parceria para o Desenvolvimento de África (NEPAD) tanto nos programas da UA como nos elaborados de comum acordo com os parceiros internacionais do continente.
Konaré deu a conhecer que actualmente a comunidade internacional, os governos e a sociedade civil manifestaram o seu apoio a África, acrescentando que o continente deve estar presente "unido e unificado", em particular no G8 e na conferência de Nova Iorque.
O presidente da Comissão da UA salientou todavia que África deve contar com os seus próprios recursos, mobilizando os recursos geridos pelas riquezas naturais imensas de que dispõe o continente para projectos de desenvolvimento, no âmbito duma parceria estratégica.
"Em África, há grandes países, mas em África não há pequenos países", frisou.
  "Para que servirá a mobilização dos recursos se não forem alocados a projectos de desenvolvimento sócio-económico em África ?", interrogou-se Konaré, apelando para a elaboração de políticas macroeconómicas sãs e judiciosas visando concretisar as expectativas e aspirações dos africanos a uma vida decente, à paz, à segurança e à estabilidade.
O presidente da Comissão africana afirmou, por outro lado, que o continente não pode garantir a sua prosperidade e sair do estado actual em que se encontra sem segurança e estabilidade, condições sine qua non para qualquer desenvolvimento económico, aludindo às crises que assolam ainda África, nomeadamente o Sudão, a Somália, a Côte d'Ivoire.
Konaré apelou, por outro lado, para a emergência duma consciência panafricana, para o envolvimento da juventude e da sociedade civil na gestão da coisa pública e na consagração da NEPAD, cuja implementação necessita da mobilização de cerca de 60 bilhões de dólares americanos.
A cimeira de Sirtes iniciou-se segunda-feira sob a presidência do chefe do Estado nigeriano, Olusegun Obasanjo, na presença do Secretário-Geral das Nações Unidas, Kofi Annan, do secretário- geral da Líga dos Estados Árabes, Amr Moussa, do presidente da Autorida palestiniana, Mahmoud Abbas, e do presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso.

05 Julho 2005 10:29:00




xhtml CSS