Kadafi reafirma desafios da Cimeira da UA no Gana

Accra- Gana (PANA) -- O guia líbio, Muamar Kadafi, declarou sábado na Universidade de Accra que a questão da unidade de África é decisiva porque o futuro dos africanos depende disso.
Falando na véspera da abertura da Nona Cimeira da União Africana, o líder líbio exortou os africanos, em particular os jovens, a decidir do seu destino e não o deixar nas mãos dum grupo de Presidentes que se encontram numa sala fechada.
Afirmou que África foi dilapidada em quatro décadas após o apelo lançado em Accra pelo militante africano Kwame Nkrumah para a criação dum Governo africano.
Kadafi acrescentou que alguns se opuseram ao apelo de Nkrumah, causando o bloqueio do processo de desenvolvimento das sociedades africanas.
Declarou que, 40 anos após este apelo, África permanece rasgada, atrasada e necessitada, apesar dos enormes recursos mineiros, considerando que as Cimeiras africanas nada mudaram para o continente.
O líder líbio disse que África se encontra actualmente numa volta histórica, indicando que as massas africanas são capazes de tomar sozinhas a decisão da unidade e tirar o continente da situação de divisão, pobreza, doença e atraso.
Afirmou que deixar o destino do continente nas mãos dum grupo de Presidentes reunidos numa sala fechada constitui um perigo para o futuro do continente, revelando que as massas africanas devem fazer escutar a sua voz à Cimeira de Accra.
Kadafi lembrou encontros que manteve com representantes da sociedade civil africana durante a sua digressão que o conduziu na semana passada ao Mali, à Guiné Conakry, à Serra Leoa e à Côte d'Ivoire.
Durante estes encontros, sublinhou a necessidade de criar os Estados Unidos de África e defendeu a formação dum Governo continental que será o principal ponto na agenda da Cimeira da UA que se inicia domingo em Accra, capital do Gana.
O líder líbio surpreendeu-se que alguns persistem em dedicar-se à divisão de África sabendo que esta situação é inviável.

01 Julho 2007 11:58:00




xhtml CSS