Jurista sul-africana nomeada perito independente na ONU

Nova Iorque- Estados Unidos (PANA) -- Uma jurista sul-africana, Rashida Manjoo, que trabalhou como especialista dos direitos humanos e levou a cabo campanhas contra as violências conjugais, foi nomeada perito independente da Organização das Naçõpes Unidas (ONU) para lutar contra as violências de que são vítimas as mulheres.
Numa declarçaão transmitida à PANA quinta-feira em Nova Iorque, a ONU indica que Manjoo substitui neste posto Yakin Erturk, como relator especial da ONU sobre as violências contra as mulheres, as suas causas e as suas consequências.
Segundo o texto, a Sul-Africana foi inicialmente nomeada pelo Conselho das Nações para os Direitos Humanos até Junho de 2012.
"Manjoo ensinou e fez pesquisas em várias universidades, incluindo a Universidade de Webster e a Escola de Direito de Harvard, ambas nos Estados Unidos, bem como na Universidade de Cabo", nota a declaração.
Na sua África do Sul natal, Manjoo foi igualmente parlamentar membro da Comissão sobre a Igualdade de Género e levou a cabo programas de formação para juízes e advogados em questões de direitos, raça e género.
Ele instaurou igualmente um programa de assistência para as violências congugais no Tribunal de Instância de Durban, na África do Sul, o primeiro do género num tribunal do seu país.
"Como outros relatores que informam o Conselho dos Direitos Humanos da ONU, Manjoo vai servir sob um estatuto benévolo e independente", acrescentou a declaração.

28 أغسطس 2009 19:28:00


xhtml CSS