Junta militar instada a fazer da fome prioridade no Níger

Niamey- Níger (PANA) -- A fome que ameaça mais de cinco milhões de Nigerinos deverá ser a prioridade da junta que tomou o poder no Níger, indicou quarta-feira Djibo Hamani, professor-investigador na Universidade Abdou Moumouni de Niamey.
Segundo ele, a situação é mais urgente porque o poder destituído de Mamadou Tanja negava a existência da situação da fome neste país.
"A prioridade das prioridades para o Conselho Supremo para a Restauração da Democracia e Paz (CSRD, junta militar) é assistir as populações nigerinas confrontadas com problemas alimentares e encontrar soluções urgentes para a fome que poderá instalar-se no país se se não controlar esta situação", preveniu.
Segundo um inquérito nacional, um lar em cada cinco encontra-se numa situação de grande vulnerabilidade alimentar, ou seja dois milhões 700 mil pessoas.
Cinco milhões 100 mil pessoas estão em situação de vulnerabilidade moderada, ou seja cerca duas pessoas em cada cinco, de acordo com o inquérito.
Mais da metade da população estima ter menos de dois meses de stocks alimentares até às próximas colheitas esperadas em Outubro de 2010.
Em 2009, a irregularidade, a má repartição e a cessação precoce das chuvas provocaram uma insuficiência da produção cerealífera e de pastos em relação às necessidades da população e do gado.

24 Fevereiro 2010 20:14:00


xhtml CSS