Jornalistas no Togo instam Governo para libertação de colega nigerino

Lomé- Togo (PANA) -- A União dos Jornalistas Independentes do Togo (UJIT) instou as autoridades togolesas a encontrarem mecanismos com vista a obter dos seus homólogos nigerinos a libertação do jornalista Moussa Kaka, indica um comunicado a que a PANA teve acesso segunda-feira em Lomé.
Moussa Kaka, correspondente da Rádio França Internacional (RFI) no Níger, foi detido a 20 de Setembro último em Niamey, a capital nigerina, antes de ser inculpado de "cumplicidade de atentado à autoridade de Estado", lembra o documento.
"Estimamos que as razões avançadas pelas autoridades nigerinas parecem fantasistas e não justificam uma tal decisão que constitui um grosseiro entrave ao exercício da profissão de jornalista", declarou o secretário-geral da UJIT, Augustin Améga.
A UJIT exorta ainda os jornalistas togoleses a estarem "prontos para acções de solidariedade para com a imprensa nigerina com vista a contribuir para a libertação imediata de Moussa Kaka".
A libertação de Moussa Kaka, que corre o risco de pesadas penas de prisão, é reclamada há duas semanas pelas associações nacionais de jornalistas da África Ocidental e pela Organização não Governamental Repórteres Sem Fronteiras (RSF).

08 Outubro 2007 15:08:00




xhtml CSS