Jornalistas da África Ocidental denunciam detenção de colega gambiano

Dakar- Senegal (PANA) -- A Fundação de Imprensa da África Ocidental (MFWA) denunciou segunda-feira a detenção prolongada do jornalista gambiano Ebrimah Manneh, há dois anos num local desconhecido na Gâmbia, indica a organização sub-regional de vigilância da imprensa num comunicado entregue à PANA.
Manneh desapareceu a 7 de Julho de 2006 e organizações de defesa dos direitos humanos pensam que o jornalista tenha sido detido por agentes da segurança.
De acordo com a MFWA, a família de Manneh, os seus colegas e os defensores dos direitos humanos continuam a exercer pressões sobre as autoridades gambianas para conhecer o local onde se encontra o jornalista.
"O desaparecimento do jornalista de 30 anos de idade deixou a sua mãe e o seu pai no desespero e continua a suscitar o medo nos jornalistas e nos outros cidadãos da Gâmbia", sublinha a MFWA.
"Isto alimenta os rumores segundo os quais Ebrimah Manneh foi morto ou torturado selvaticamente, de forma que os seus raptadores temem que a sua libertação forneça a prova das suas brutalidades", indica o comunicado.
Por seu lado, o Tribunal de Justiça da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), sediado em Abuja, na Nigéria, declarou a 5 de Junho de 2008 "ilegal" a detenção do jornalista e instou as autoridades gambianas a libertá-lo.
Em Junho de 2007, a MFWA apresentou uma queixa junto do Tribunal de Justiça da CEDEAO, exortando o Presidente gambiano, Yahya Jammeh, e a sua administração a apresentar Manneh e prestar contas pela sua detenção e pelo seu desaparecimento.

08 Julho 2008 09:45:00




xhtml CSS