Jornalista queniano recebe recompensa de 16 mil dólares por danos

Nairobi- Quénia (PANA) -- Um jornalista queniano que tinha sido preso pela Polícia e acusado injustamente de posse de uma bebida ilegal foi recompensado com 16 mil dólares por detenção errada.
Peter Makori, que trabalhava para um jornal local em Kissi (oeste do Quénia), processou o Estado devido a sua detenção e acusação, exigindo 3 milhões de shillings por danos gerais e agravados.
O jornalista disse que há três anos foi preso e acusado de posse de 120 litros de uma bebida ilegal (kangara) quando cobria um incidente no qual alguns habitantes da região foram linchados por supostos actos de feitiçaria.
Entretanto, ele negou veementemente a acusação.
Posteriormente, Makori foi absolvido por um tribunal local por falta de provas, mas processou o Estado devido a sua detenção ilegal.
Por outro lado, o fotógrafo Wallace Gichere continua a lutar por justiça 12 anos depois de ter sido atirado por agentes da segurança do Estado do seu apartamento situado no quarto andar de um edifício em Nairobi.
Como resultado do incidente, Gichere sofreu graves ferimentos que o levaram a ficar numa cadeira de rodas.
O fotógrafo processou o Procurador-Geral da República por perda de rendimentos, danos e ferimentos.

10 Abril 2003 12:45:00




xhtml CSS