Jornalista marroquino liberto após sete meses de prisão

Rabat- Marrocos (PANA) -- O jornalista marroquino, Mustapha Hormat Allah, do semanário arabófono independente "Al Watan Al An" condenado a sete meses de prisão por "difusão de documentos confidenciais" sobre a luta anti-terrorista, foi liberto sexta-feira, depois de ter cumprido a totalidade da sua pena, indicou o Sindicato Nacional da Imprensa Marroquina (SNPM).
Além de Hormat Allah, o director do semanário, Abderrahim Ariri, foi condenado no mesmo assunto a cinco meses de prisão com suspensa.
Os dois jornalistas foram acusados de ter publicado em Julho de 2007 um dossier sobre "as relações secretas de trás do estado de alerta em Marrocos", compreendendo uma circular confidencial destinada a corpos da segurança marroquina.
Oito militares marroquinos dos quais três coronéis, acusados de ter transmitidos estes documentos aos dois jornalistas, foram condenados em Agosto de 2007 pelo Tribunal Militar Permanente em Rabat a penas que vão de seis meses a cinco anos de prisão.
No seu comunicado publicado em Rabat, o SNPM afirmou que as penas privativas de liberdade para jornalistas devem ser revogadas.
De acordo com o SNPM, o projecto de código de imprensa em curso de elaboração, que revoga uma série de disposições privativas de liberdade para jornalistas, continua a mantê-los, quando se trata da monarquia, da integridade territorial de Marrocos e da religão islâmica.

26 Julho 2008 11:25:00




xhtml CSS