Jornalista gambiano esconde-se para escapar à perseguição

Dakar- Senegal (PANA) -- Perseguido por vários indivíduos, dos quais um quadro do diário prógovernamental e de agentes de segurança gambiana, um jornalista independente gambiano, Momodou Lamin Jaiteh, escondeu-se na Gâmbia, anuncia o Comité para a Protecção dos Jornalistas (CPJ).
O jornalista pensa estar a ser procurado por causa das suas pretensas relações com a Fundação dos Médias para a África Ocidental (MFWA), uma organização sediada no Gana, de acordo com esta instituição de defesa da liberdade de imprensa baseada nos Estados Unidos.
A MFWA chamou a atenção sobre as violações da liberdade de imprensa na Gâmbiam tendo acusado recentemente o governo no tribunal para exigir a libertação do jornalista Ebrima B.
Manneh aprisionado sem julgamento há uma semana.
Jaiteh, um correspondente da Agência Panafricana de Notícias (PANAFRESS), declarou ao CPJ ter recebido a 29 de Junho uma chamada telefónica de Saja Taal, director-geral do diário gambiano prógovernamental Daily Observer, e de um próximo colaborador do Presidente fambiano Yahya Jammeh.
O perseguido afirmou que durante a conversa, Taal pedia-lhe o seu cúrriculo vitae e as suas relações com o MFWA.
O presidente do Sindicato da Imprensa Gambiana, Madi Ceesay, disse ter também recebido uma chamada telefónica durante a qual o seu interlocutor queria informações sobre Jaiteh.
O jornalista recebeu igualmente uma chamada telefónica de um certo Jallow que precisava de saber do seu esconderijo, alegando que tinha um correio para lhe entregar.
Três homens à paisana, aprentemente agentes de segurança, apresentaram-se também na casa dele para saber onde estava, revelou ao CPJ uma fonte próxima da sua família.
"Momodou Lamin Jaiteh é o último da comprida lista de jornalistas perseguidos na Gâmbia", disse o director executivo do CPJ, Joel Simon, citado num comunicado.
"Apelamos ao Presidente Jammeh para usar de toda a sua influência a fim de pôr imediatamente fim às intimidações e permitir ao jornalista retomar o seu trabalho em toda segurança", acrescentou.
Em Maio, o CPJ disse que a Gâmbia é um dos maiores violadores das liberdades de imprensa.

07 Julho 2007 13:40:00




xhtml CSS