Jornal ganense saúda nascimento do Parlamento Panafricano

Accra- Ghana (PANA) -- O jornal privado ganense Palaver saúdou a criação do Parlamento Panafricano e louvou as qualidades de visionário do malogrado Presidente ghanense Kwame Nkrumah que lançou a ideia panafricanista há 40 anos.
"Desde 40 anos, as ideias do Kwame Nkurumah continuam a germinar", deu a conhecer o Palaver na sua edição de terça-feira, adiantando: "o Dr Nkrumah ultrapassou as fronteiras do Ghana e ocupou o lugar que lhe convém no centro da África.
A sua envergadura ultrapassava a do Ghana".
O diário recorda que o Dr Nkrumah foi derrubado em 1966, porque manifestou a sua ambição de se tornar presidente de África.
"Constatou a fragmentação do continente, a balcanização de África e a incapacidade das populações de enfrentar os problemas fundamentais nomeadamene as doenças, saneamento e alfabetismo".
o Palaver nota igualmente que o Presidente ganense estimou com razão que nenhum Estado africano não podia, pelos seus próprios esforços, preencher o grande fosso que sepera os países desenvolvidos dos países sub-desenvolvidos.
"É urgente fazer conhecer melhor a África e mudar a face do continente", revelou.
Por outro lado, o Palaver revelou que o continente devia velar para que a União Africana (UA) não se tornasse "um seio branquíssimo fechado e distribuidor de salário diário e um clube para alguns privilegiados que tenham acesso a ela (África)".
"O Parlamento da UA deve ser um verdadeiro parlamento continental dos povos que vai defender e proteger economicamente, socialmente, politicamente, através da boa governação, os interesses e os direitos dos africanos ordinários", concluiu o diário.

31 Março 2004 10:46:00


xhtml CSS