Jesse Jackson defende solução de crise em Darfur

Accra- Gana (PANA) -- O reverendo afro-americano Jesse Jackson apelou sábado em Accra à comunidade internacional a demonstrar mais interesse na resolução da crise em Darfur, oeste do Sudão, antes de procurar responsáveis pela situação.
Jackson, que assiste à Nona Cimeira da União africana (UA) iniciada domingo na capital ganense, declarou à imprensa que a ausência do Presidente sudanês, Omar Hassan El Beshir, apenas fazia prolongar a crise.
Pediu o respeito do acordo de paz sobre Darfur, preconizando mais transparência e aplicação de mais recursos na reconstrução desta região assolada pela guerra.
Deplorou as perdas importantes em vidas humanas em Darfur, defendendo ser preciso fazer a diferença entre os rebeldes e os civis.
O religioso instou a ONU a prestar um apoio constante ao processo de paz em Darfur, exprimindo o seu apoio a uma força de paz mista da ONU e da UA.
Evocando o debate sobre a formação dum Governo africano, Jackson disse que isto deveria ter sido feito há muito tempo, indicando que o processo de unificação do continente começou com a luta para a independência dos países africanos, seguida do panafricanismo para finalmente desembocar na criação dos Estados Unidos de África.
"Os resíduos da era colonial comprometeram este processo porque as consequências do tráfico de escravos estavam bem enraizadas", declarou.
O reverendo apelou para um engajamento na reconstrução do continente e insistiu na necessidade da resolução dos problemas da dívida, do analfabetismo e do HIV/Sida.

01 Julho 2007 14:30:00




xhtml CSS