Hepatite E mata 38 pessoas no leste do Níger

Niamey, Níger (PANA) – Dois mil e 35 casos suspeitos ou confirmados de Hepatite E, incluindo 38 óbitos, foram registados até 24 de outubro corrente em Diffa, no extremo leste do Níger, de acordo com o último balanço  divulgado pela Ocha Niger, um organismo onusino de coordenação humanitária.

O anterior  balanço dava conta de mil e 987 casos suspeitos ou confirmados, incluindo 38 mortes, registados até 12 de outubro  em Diffa,  região que continuou a registar casos de Hepatite E desde a declaração da epidemia pelas autoridades sanitárias, a 19 de abril de 2017.

A taxa de mortalidade  passou de 29 porcento em  25 de abril para 1,86 porcento em 24 de outubro, observando-se igualmente  um declínio de casos desde 10 de julho.

As Mulheres e pessoas de 15 anos de idade ou mais são as mais afetadas, e o maior número de casos foi o declarado na cidade de Diffa. O pessoal das estruturas de saúde e os parceiros humanitários  prosseguem  as atividades de  cuidados médicos e de  prevenção.

A Hepatite viral E é uma doença infecciosa causada por um vírus cujos reservatórios são o homem e algumas espécies animais. Ela é  comum nos países com baixos níveis de higiene (casos esporádicos e epidemias). O vírus é excretado nos sais de indivíduos infectados e entra no organismo humano através dos intestinos, tansmitindo-se  principalmente ao beber água contaminada.

Em geral, a infecção cura espontaneamente em duas a seis semanas. Às vezes, ela piora eevolui para para hepatite fulmanante (insuficiência hepática aguda), resultando  então na morte de uma certa proporção de pacientes.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS),  estima-se  cada ano  em cerca de 20 milhões o número de infecções pelo vírus da Hepatite E.

-0- PANA SA/DIM/IZ 28out2017


28 Outubro 2017 11:28:19


xhtml CSS