Guillaume Soro convida Ivoirienses à revolta para instalar Ouattara

Dakar, Senegal (PANA) – Guillaume Soro, primeiro-ministro do Governo de Alassane Ouattara, apelou às populações ivoirienses a sair massivamente à rua para instalar o candidato da oposição proclamado vencedor das presidenciais de 28 de novembro pela Comissão Eleitoral Independente (CEI).

O chefe do Governo de Ouattara defendeu, durante uma conferência de imprensa quinta-feira em Dakar, que o povo da Côte d’Ivoire deve dotar-se dos meios para fazer partir o Presidente cessante, Laurent Gbagbo, « e toda África compreenderá que os povos mudaram ».

« É uma questão de responsabilidade. Fazemos isto por África, pelo mundo inteiro e para melhorar a imagem do continente”, disse Soro aos jornalistas.

Ele acrescentou que esta revolução deve consistir em fazer partir Laurent Gbagbo do poder, para que a Côte d’Ivoire possa passar ao resto de África o sinal da supremacia e da democracia.

« O painel dos chefes de Estado delegado pela União Africana é bom. Mas como Gbagbo vai rejeitar a solução que os seus membros vão propor não se deve perde mais tempo. Ele foi demasiado longe para recuar e não aceitará o que o painel vai propor », indicou Soro.

Afirmou que o  desafio da crise pós-eleitoral ivoiriense não pode reduzir-se a um confronto entre Gbagbo e Ouattara, mas depende duma escolha que África deve fazer entre as Presidências vitalícias, as realezas ou a democracia.

« Estas eleições foram muito transparentes para que não se saiba quem ganhou. Estou triste e desolado de constatar que Gbagbo não abandona o poder e que ridiculiza a Côte d’Ivoire e a sub-região. África, o nosso continente, não pode continuar a dar uma imagem humilhante. Se quisermos a democracia, Gbagbo deve abandonar o poder”, frisou.

Guillaume Soro, chegado quarta-feira a Dakar, foi acolhido à sua chegada pelo primeiro-ministro senegalês, Souleymane Ndéné Ndiaye, antes de ser recebido em audiência pelo Presidente Abdoulaye Wade.

A sua estada em Dakar inscreve-se numa digressão que iniciou a 12 de fevereiro por África para encontrar as vias e os meios de fazer partir Laurent Gbagbo do poder. Ele faz acompanhar por uma delegação do seu Governo  que integra o ministro dos Negócios Estrangeiros e Integração Africana, Gervais Kacou.

-0- PANA COU/TBM/SOC/MAR/TON 18fev2011

18 Fevereiro 2011 11:32:19




xhtml CSS