Grupo de Contacto defende envio imediato de força de paz à Somália

Nairobi- Quénia (PANA) -- O Grupo de Contacto Internacional sobre a Somália (GCI) aceitou sexta-feira mobilizar apoio financeiro para o envio urgente de soldados de manutenção da paz à Somália e instou os doadores a ajudar a estabilizar o país após a vitória das tropas governamentais apoiadas pelas forças etíopes sobre os combatentes da União dos Tribunais Islâmicos (UTI).
"É uma oportunidade para o povo somalí de chegar a soluções políticas duradouras baseadas na estrutura da Carta de Tranisção Federal", declarou o ministro queniano dos Negócios Estrangeiros, Raphael Tuju, após a reunião do Grupo de Contacto Internacional em Nairobi.
A estrutura insistiu na necessidade urgente de fundos para facilitar o envio da força da estabilização à Somália em conformidade com a resolução 1725 do Conselho de Segurança da ONU, declarou o chefe da diplomacia queniana, acrescentando que o grupo saudou, por outro lado, a proposta do Uganda de enviar mil soldados de manutenção da paz à Somália.
Os Estados Unidos prometeram um primeiro financiamento de 14 milhões de dólares americanos para as operações projectadas de manutenção da paz através da União Africana (UA) e outros 24 milhões para os esforços de desenvolvimento na Somália.
O Grupo de Contacto instou o Governo somalí a abrir negociações com os islamitas moderados, única garantia duma paz duradoura neste país que está privado de Governo funcional desde a destituição do regime do presidente Mohamed Siad Barre em 1992 pelos senhores da guerra.
Falando durante esta reunião, o Presidente somalí, Abdulahi Yusuf, notou que "é uma rara oportunidade para um verdadeiro desenvolvimento político na Somália" e lançou um apelo a favor do desdobramento de soldados de manutenção da paz para evitar um potencial vazio de segurança após a partida das tropas etíopes.
"As suas acções permitir-nos-ão alcançar os objectivos que são não apenas duma importância capital para os nossos povos, mas igualmente para todos os povos da sub-reigão", declarou o Presidente somalí aos participantes, que saudaram a relocalização do Governo de Mogadíscio para Baidoa.
A reunião não elaborou um calendário para o desdobramento dos soldados de manutenção da paz, mas o representante da UA na Somália, Mohamed Foum, anunciou um encontro do Conselho de Paz e Segurança da organização continental na próxima semana em Addis Abeba para estatuir sobre esta questão.
O ministro somalí dos Negócios Estrangeiros, Ismael Hurreh, declarou à PANA que "o desdobramento das tropas não constitui uma questão simples e que precisará de tempo".
O Grupo de Contacto Internacional sobre a Somália agrupa os parceiros do processo de paz somalí incluindo a UA, a Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (IGAD), a União Europeia (UE), a ONU, a Itália, a Noruega, a China e os Estados Unidos.

06 Janeiro 2007 10:16:00




xhtml CSS