Greve prossegue na companhia aérea sul-africana

Joanesburgo- África do Sul (PANA) -- O pessoal da tripulação e não navegante da companhia aérea sul-africana "South African Airways" (SAA) prosseguiu segunda-feira a sua greve iniciada há quatro dias enquanto a direcção da empresa e os sindicatos prometem solicitar a intervenção da Comissão de Conciliação, Mediação e Arbitragem (CCOMA).
A SAA revelou segunda-feira ter acordado com a Associação Unida da África do Sul (UASA) e com a União dos Trabalhadores Sul-Africanos dos Transportes e Aliados (SATAWU), os dois sindicatos envolvidos no movimento grevista, em solicitar a intervenção da CCOMA a fim de sair do actual impasse nas negociações.
"A SAA e os sindicatos estão a negociar os detalhes e a natureza da intervenção da CCOMA.
Os sindicatos pediram mais informações sobre a proposta, especificamente por que razão a SAA não pode oferecer um aumento salarial superior a cinco por cento", indicou a companhia aérea num comunicado.
A SAA ofereceu um aumento salarial de cinco por cento mas os sindicatos exigem oito por cento.
A companhia anunciou no último fim-de-semana ter melhorado a sua oferta de cinco por cento aplicacando-a às regalias médicas e de alojamento para além de um subsídio adicional de mil e 600 rands (260 dólares americanos), mas os sindicatos rejeitaram esta nova oferta.
Em consequência, a SAA foi obrigada a cancelar a maioria dos seus voos regionais e internacionais, deixando em terra milhares de passageiros.

26 Julho 2005 15:08:00




xhtml CSS