Greve dos enfermeiros de Luanda

Luanda- Angola (PANA) -- Os enfermeiros de Luanda observam desde as sete horas desta terça-feira (0600 TMG) uma greve por "tempo indeterminado" para exigirem melhorias salariais e o enquadramento de cerca de três mil colegas seus não reconhecidos pelo patronato, apurou a PANA na capital angolana.
A paralização foi decretada pelo Sindicato dos Enfermeiros de Luanda (SEL) que alega falta de consenso nas negociações com a Direcção Provincial de Luanda.
"Não aceitamos a moratória de 30 dias proposta pela Direcção da Saúde e vamos continuar a lutar para convencer o patronato a pagar os salários em atraso, e admitir oficialmente os profissionais em questão", declarou o secretário-geral do Sindicato, João Ngola.
Segundo João Ngola, mais de três mil técnicos de saúde trabalham legalmente nos vários centros de saúde e unidades hospitalares de Luanda há quase três anos sem perceberem.
Além desta questão e da dos aumentos salariais, os enfermeiros exigem o pagamento de subsídos de turno, melhores condições de trabalho e a garantia de assistência médico-medicamentosa aos enfermeiros que no exercício da profissão tenham contraído o vírus da Sida.

23 septembre 2003 11:33:00


xhtml CSS