Greve de condutores de autocarros prossegue no Egito

Cairo, Egito (PANA) – Os trabalhadores da Autoridade dos Transportes Público Egípcios (PTA) continuaram segunda-feira o seu "sit-in" diante dos gabinetes do Governo, para a segunda semana consecutiva, apesar das ofertas feitas pelo Executivo para aumentar os seus salários.

O Governo do primeiro-ministro Essam Sharaf anunciou ter concedido 26 milhões de dólares americanos para satisfazer as exigências dos trabalhadores dos transportes públicos para uma restruturação dos seus salários. Mas os condutores afirmam ter-se descoberto que só a metade da soma estava disponível.

A oferta do Governo é igualmente acompanhada de condições « inumanas e muito severas », segundo os grevistas.

Com efeito, segundo esta oferta, os motoristas devem trabalhar 26 horas em vez de 20 horas por mês, para ter direito aos ajustes de salários.

Mas os motoristas e os cobradores, uma importante parte dos grevistas da PTA, reclamam igualmente pela paridade com os outros empregados do Governo no regime de pensão

O ministro egípcio da Mão-de-Obra anunciou, a semana passada, que a greve custava ao Governo 170 mil dólares americanos por dia.

-0- PANA MI/SEG/NFB/JSG/MAR/IZ 03out2011

03 Outubro 2011 23:33:55


xhtml CSS