Grã-Bretanha exorta rebeldes de Darfur a negociar

Cartum- Sudão (PANA) -- A Grã-Bretanha instou os os grupos rebeldes da conturbada província oeste-sudanesa de Darfur a voltar incondicionalmente à mesa de negociações.
"A nossa mensagem aos rebeldes de Darfur e aos grupos armados do sul do Sudão é que acabou o tempo da guerra", disse o embaixador britânico no Sudão, William Patty, durante uma conferência de imprensa conjunta com o enviado especial Alistair McPahail.
Alegando uma marginalização política e económica de Darfur, o Movimento pela Justiça e Igualdade (JEM) e o Movimento de Libertação do Sudão (SPLA/M) combatem o governo sudanês desde Fevereiro de 2003.
Alistair McPhail disse que a sua deslocação ao Sudão faz parte dos esforços do Reino Unido para instar as duas partes a engajar- se na implementação do acordo de paz para o sul do Sudão e encorajar as partes em conflito em Darfur a chegar a uma solução.
Os dois representantes britânicos declararam o compromisso da Grã-Bretanha em apoiar o processo de paz no Sudão.
Durante a sua visita de três dias, McPail encontrou-se com o primeiro Vice-Presidente sudanês Ali Osman Mohamed Taha e com o líder do Movimento/Exército de Libertação do Sudão SPLA/M), John Garang.
Afirmou ter também conversado com os oficiais militares e com o conselho criado para controlar a implementação do acordo de paz do sul do Sudão.
"Por várias razões, a implementação não foi tão rápida quanto esperava o povo sudanês e queremos saber também as razões", destacou, lamentando a lentidão na implementação do pacto entre o governo sudanês e o SPLA/M.
"Os desafios serão numerosos, devemos trabalhar muito durante este periódo pré-interino de seis meses", sublinhou McPhail.
O governo sudanês e o SPLA/M assinaram o acordo de paz definitivo a 9 de Janeiro passado em Nairobi, Quénia, para pôr termo a duas décadas de guerra civil no sul do Sudão.
Com relação a Darfur, McPhail reconheceu haver uma melhoria considerável na situação humanitária mas destacou a necessidade de um apoio decisivo da parte da comunidade internacional e dos doadores para prevenir o sofrimento excessivo das populações durante a próxima temporada das chuvas.
McPhail declarou que o seu governo vai continuar ajudar a Missão da União Africana no Sudão (AMIS) e os esforços da UA para promover negociações entre Cartum e os rebeldes de Darfur.
"Aconselhámos todas as partes para respeitar os seus compromissos sobre o cessar-fogo e cooperar com a União Africana", declarou.

23 Março 2005 11:09:00




xhtml CSS