Grã-Bretanha ameaça retorquir se Nigéria proibir suas companhias aéreas em seu território

Lagos, Nigéria (PANA) – O Governo britânico prometeu medidas de retorsão se a Nigéria executar a sua ameaça de proibir as suas companhias aéreas, nomeadamente British Airways (BA) e Virgin Atlantic, de operar no seu território devido às tarifas discriminatórias impostas aos Nigerianos.

Domingo último, a ministra nigeriana da Aviação, Stella Oduah, deu a todas as companhias aéreas, que operam no país, um ultimato de 30 dias para pôr termo à prática discriminatória que consiste em impor aos passageiros nigerianos tarifas mais elevadas do que a outros passageiros da África Ocidental.

Ela advertiu que qualquer companhia aérea internacional, que opera na Nigéria, que não puser termo a esta prática nem a outras similares,  num prazo de trinta dias, ver-se-á proibida de exercer as suas atividades no país.

Mas um porta-voz do Alto Comissariado britânico na Nigéria, citado pela imprensa local, declarou que "proibir as companhias aéreas privadas será uma medida inábil que poderá ser catastrófica".

A Grã-Bretanha acrescentou que ela não hesitará em aplicar medidas de represálias se o Governo nigeriano aplicar a sua ameaça.

« O primeiro-ministro Britânico, David Cameron, e o Presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, assinaram um comunicado conjunto, no ano passado, em que se comprometeram a duplicar os intercâmbios bilaterais. Qualquer ação contra BA e a Virgin terá consequências negativas sobre este objetivo estratégico », segundo o porta-voz.

No que diz respeito às tarifas discriminatórias, a Grã-Bretanha indicou que elas só foram aplicadas às classes Económicas e Primeiras devido à forte procura para estes assentos na Nigéria.

De facto, um bilhete de ida simples em Primeira classe Lagos-Londres custa cinco mil e 408 dólares americanos, ao passo que a mesma reserva para um passageiro no trajeto Accra-Londres custa dois mil e 399 dólares.

Igualmente em classe Económica, o bilhete Lagos-Londres (ida simples) custa três mil 685 dólares americanos contra dois mil 49 para o voo Accra-Londres.

Este desacordo sobre as tarifas acontece coincide com um outro diferendo entre os dois países sobre os espaços de aterragem.

A maior companhia aérea da Nigeria, Arik Air, suspendeu os seus voos diários entre Abuja (capital federal nigeriana) e o aeroporto de Heathrow em Londres (capital britânica)depois de confrontada com a recusa de espaços de aterragem e descolagem nos aeroportos britânicos.

Uma multa de 235 milhões de dólares americanos infligida a BA e a VA pelo Governo nigeriano em 2011, visando um entendimento sobre os preços relativos ao destino Nigéria-Reino Unido, foi anulada após recurso.

-0- PANA SEG/FJG/JSG/FK/DD 27março2012

27 Março 2012 17:32:55


xhtml CSS